Doctor Who: 10 coisas que talvez você não saiba sobre ‘Death in Heaven’

Já falamos do episódio que antecede a season finale da oitava temporada e hoje traduzimos as curiosidades da mesma.

Finalmente é revelada a nova parceira excêntrica do Doutor, e o motivo de serem tão íntimos. Ela também revelou seu mais recente plano de dominação mundial. Então, tudo que o Doutor precisa fazer é descobrir uma maneira inteligente de vencer os Cybermen e frustrar o plano de Missy, e se puder oferecer a Clara a chance de recuperar o seu Danny Pink, tanto melhor.

‘Death in Heaven’ contém tudo isso e muito mais.

Vale a pena prestar atenção em alguns detalhes enquanto assiste:

Era par ser a última história de Clara. Jenna Coleman tinha anunciado sua intenção de deixar Doctor Who no final da 8ª temporada, e assim o roteiro foi escrito com essa finalidade. Entretanto, depois de ler o roteiro de ‘Death in Heaven’, Jenna perguntou se poderia ficar para o especial de Natal – ‘Last Christmas’ – e Steven Moffat concordou em escrever seu final naquele episódio. Moffat, no entanto, foi esperto e manteve uma versão diferente. Nela, Clara permaneceria com o Doutor.

Ele contou para a Doctor Who Magazine: “Ela veio para a leitura e fez a versão ‘excluída da série’ – e novamente mudou de ideia. Mas a verdade é que eu nunca quis que ela fosse. A minha versão favorita era a feita em ‘Last Christmas’, aquela em que a Clara permanecia. Eu realmente não queria perdê-la. Ela é uma atriz incrível e sempre se esforçava para melhorar a personagem. Fiquei muito feliz de ter feito tudo o que podia para que conseguíssemos mantê-la”.

Provavelmente como uma homenagem à partida/não partida de Clara, e como um aceno para sua reivindicação em ‘Dark Water’ de que ela é o Doutor, os créditos do título para este episódio foram alterados de modo que o nome de Jenna Coleman apareceu antes de Peter Capaldi, e os olhos de Jenna apareceram na animação rodopiante, ao invés dos olhos de Peter. É a única vez que alguém que não seja o Dutor apareceu em uma sequência de título, além de uma visão passageira dos olhos do Mestre na sequência do título no filme de 1996 de Doctor Who.

Mesmo pelos padrões de Doctor Who, esta história está repleta de talentos da comédia britânica. Além da Michelle Gomez que já conhecíamos, há também Chris Addison interpretando Seb. Um comediante stand-up e ator que é provavelmente mais conhecido do público da TV britânica no painel político Mock the Week, e seu papel como o infeliz Ollie Reeder na comédia política The Thick of It (também estrelada por Peter Capaldi).

Ele é acompanhado por Sanjeev Bhaskar, que interpreta o Coronel Ahmed. Sanjeev é mais conhecido pelos telespectadores britânicos por ser um dos criadores do program de sketchs Goodness Gracious Me. Ele também é o terceiro membro do elenco que participou de Doctor Who, depois de Meera Syal (Dra. Nasreeb Chaudhry em ‘Hungry Earth’/’Cold Blood’) e Nina Wadia (Dra. Ramasden em ‘The Eleventh Hour’). Mantendo-se atualizado sobre os avanços médicos de seus antigos colegas, Sanjeev também interpretou um médico, o Dr. Avishka Sangakkara, nas histórias em áudio de Doctor Who na Big Finish: ‘The Eight Truths‘ e ‘Worldwide Web‘.

Kate Stewart arremessa uma antiga cabeça de Cyberman, e em um tom severo diz: “Você deixou isso em uma de suas tentativas anteriores…”. Essa é a continuação de uma referência da aventura de 1969 “The Invasion”, na qual os Cybermen chegam a Londres, na área da Catedral St. Paul, e são controlados pelo segundo Doutor e pelo Brigadeiro Lethbridge Stewart, pai de Kate.

A informação de Kate que o Doutor ainda está “na folha de pagamento” deve ser uma surpresa para o seu amigo Senhor do Tempo, considerando que ele tinha recebido a oferta de salário do Brigadeiro quando estava em sua terceira regeneração. Entretanto, ele recusa em troca de um laboratório e um carro. Ele ainda diz: “Dinheiro? Meu caro, eu não quero dinheiro. Eu não vejo nenhuma utilidade nas coisas materiais!”.

Como é revelado por Missy, as coordenadas de Gallifrey – “10-011-00:02” – foram originalmente ditas pelo quarto Doutor para Sutekh na história ‘Pyramids of Mars’. Sutekh não reconhece Gallifrey pelo nome, mas se familiariza com o planeta apenas pela “localização binária do centro galáctico zero”.

O corpo de Danny é levado para a Casa Funerária Chaplet, o que talvez seja uma piada com a companion do primeiro Doutor, Dodo Chaplet, baseada na expressão “dead as a dodo”.

Há outra referência ao Segundo Doutor quando Missy brinca usando as palavras “oh my giddy aunt” (oh, minha atordoada tia) enquanto coloca em prática seu plano de matar Osgood. Como um especialista no estudo das diversas encarnações do Doutor, Osgood reconhece a frase que o Doutor usava com frequência.

O Doutor se refere ao Valiant – visto por último em ‘The Sound of Drums’ – como “Cloudbase”, iniciando a conversa sobre se a estação espacial científica viria das marionetes Gerry e Sylvia Anderson, da série de ficção científica Thunderbirds, ou se viria da igualmente popular série Captain Scarlet and the Mysterons. Cloudbase é o fictício quartel general da organização internacional de segurança  Spectrum.

Fonte: Anglophenia

Nos acompanhe e curta nosso conteúdo!
error
Fechar Menu