Christopher Eccleston: “Odiei meu corpo durante a vida toda”

Christopher Eccleston revela que batalhou contra anorexia e que chegou a pensar em tirar a própria vida.

(Atenção, esse texto pode conter alguns gatilhos.)

Em uma passagem de seu livro ‘I Love the Bones of You‘, o ator se descreveu como alguém que odiou o próprio corpo por grande parte da vida, dizendo que estava muito doente enquanto filmava Doctor Who.

O ator de 55 anos deu vida ao nono Doutor quando a série voltou ao ar em 2005.

Ele disse que nunca havia revelado sobre sua luta porque não é algo que homens nortenhos da classe trabalhadora fazem.

“Por muitas vezes eu quis revelar que eu fui anoréxico e dismórfico”, ele escreveu.

“Eu nunca falei sobre isso. Sempre pensei sobre isso como um segredo asqueroso, porque eu sou do norte da Inglaterra. Porque sou homem e pertenço à classe trabalhadora.”

Desde os seis anos de idade, ele se preocupava por ter uma barriga levemente volumosa e joelhos grandes.

Christopher Eccleston revelou que estava lutando contra a anorexia enquanto filmava o famoso programa de ficção científica da BBC.

“A doença ainda estava dentro de mim enquanto eu era o Doutor. As pessoas adoram minha aparência na série, mas eu estava muito doente. A recompensa por essa doença foi o papel. E aí reside a perpetuação de toda a triste situação”.

O ator, que tem dois filhos, foi diagnosticado com depressão clínica depois de ter se separado de sua esposa Mischka em 2015 e disse que foi quando ele considerou tirar a própria vida.

“Eu estava em um estado de extrema ansiedade, convencido de que eu iria morrer ou me matar”, escreveu o ator que, na época, estava trabalhando no drama da BBC ‘The A World‘.

Ele adicionou “no meu desespero, eu peguei o telefone e entrei em contato com um hospital psiquiátrico. Peguei minhas coisas e fui.”

Eccleston começou a tomar antidepressivos e admite que poderia usar pelo resto da vida, embora gostaria de reduzir a dose pois, segundo ele, os medicamentos poderiam reprimir seu lado criativo.

Mas aparentemente isso não afetou tanto seu lado criativo, o ator declarou: ” […] no entanto, curiosamente, recebi algumas das melhores críticas da minha vida desde que comecei a tomá-los.”

A instituição de caridade Beat, a mais conhecida no Reino Unido em apoio a pessoas afetadas por distúrbios alimentares elogiou o ator por sua “coragem” em contar sua história.

Um porta-voz disse “demanda bastante coragem para se falar sobre distúrbios alimentares.”

“Ao se fazer isso, ajuda-se a combater os estigmas e desentendimentos que existem ao redor dessas doenças, especialmente para homens e meninos. Nós esperamos que Christopher tenha recebido a ajuda necessária e que o seu ato encoraje outros a buscar ajuda, pois sabemos que o quanto antes uma pessoa conseguir ajuda para combater um distúrbio alimentar, maiores são as chances de recuperação.”


Se você ou alguém que você conhece se sente emocionalmente angustiado, existem organizações que podem oferecer conselhos e apoio. O CVV é uma das ONGs mais antigas do país. Fundado em São Paulo em 1962, atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio por meio do telefone 188, e também por chat, e-mail e pessoalmente. Mais informações no site: www.cvv.org.br.

Fontes: BBC | Digital Spy

Nos acompanhe e curta nosso conteúdo!
error
Fechar Menu