BBC procura fonte de vazamentos de Doctor Who

A BBC está determinada a localizar outros conteúdos da primeira temporada de Jodie Whittaker que possam ter sido obtidos ilegalmente.

A BBC está trabalhando duro para rastrear a fonte de alguns sérios vazamentos de Doctor Who, que incluem um clipe e imagens da décima terceira Doutora – Jodie Whittaker, em seu primeiro episódio – e a RadioTimes.com descobriu que isso é em parte por preocupação de haver ainda mais material roubado da nova temporada nas mãos de terceiros.

Percebemos que a BBC Studios (uma subsidiária comercial da BBC envolvida na distribuição de Doctor Who) está determinada a rastrear várias pessoas que indicaram nas mídias sociais ter recebido o material vazado antes de sua ampla divulgação no início deste ano. O objetivo é encontrar a fonte original dos vazamentos e, portanto, impedir que mais propriedade intelectual da nova temporada seja distribuída on-line.

No decorrer dessa busca, a BBC Studios intimou a gigante da tecnologia, Microsoft, no Tribunal Federal dos EUA para “todas as informações capazes de identificar o suposto infrator que postou conteúdo roubado”.

“O material roubado inclui, sem limitação, uma cópia não autorizada de conteúdo em vídeo protegido por direitos autorais do episódio 1 da 11ª temporada de Doctor Who, da BBC Worldwide Limited e da BBC Studios (Distribution)”, informa a solicitação.

A intimação para a Microsoft é direcionado essencialmente ao serviço de hospedagem de arquivos da empresa, o OneDrive, que supostamente era usado para armazenar e compartilhar uma cópia de um trecho da 11ª temporada que vazou. A intimação pede à empresa para compartilhar quaisquer dados que possam ajudar a identificar a pessoa que enviou o clipe, incluindo “qualquer nome, nome da conta, endereço, número de telefone, endereço de e-mail, data de nascimento, foto do perfil, informações do dispositivo, informações do navegador, informações de localização, informações de outras pessoas (por exemplo, Facebook ou Google+) e horários” (via TorrentFreak).

Uma intimação anterior contra a ferramenta de fórum, o Tapatalk, foi uma tentativa de identificar alguém que postou o material on-line.

No momento, é difícil para a BBC evitar vazamentos adicionais sem conhecer a fonte original do material, ou quanto material foi levado. Sendo assim, a aplicação legal – que fontes dizem ser um processo inteiramente amigável entre a BBC, Microsoft e Tapatalk e é um procedimento padrão que deve ser promulgado devido às leis de privacidade – é a melhor maneira de manter a nova temporada em sigilo e proteger o IP da BBC.

Com certa preocupação de que mais material ilegalmente obtido e protegido por direitos autorais possa estar nas mãos do vazador original, a BBC está interessada em agir de forma decisiva.

“Como dissemos no mês passado, quando buscamos cooperação da plataforma móvel Tapatalk, a BBC Studios levou o roubo e a distribuição ilegal de nosso conteúdo muito a sério”, disse um porta-voz.

“Nós iremos lutar para proteger os produtores da série, a audiência e aqueles que pagaram pelo direito de transmissão contra quaisquer violações de segurança”.

“As últimas alegações nos Estados Unidos são a continuação do processo pelo qual nós queremos no final garantir que os fãs de Doctor Who possam usufruir da versão final e completa do episódio que estreia no outono (primavera no Brasil)”.

No geral, parece que a BBC Studios espera que essas solicitações consigam reprimir qualquer outra distribuição ilegal de material com conteúdo licenciado. Além disso, garantir que os responsáveis pelo vazamento não divulguem mais nenhum material da próxima temporada.

Há ainda a preocupação de evitar que os fãs recebam spoilers sobre a nova Doutora, Jodie Whittalker. Torcemos para que nem todos os segredos sejam revelados antes da exibição oficial.

Fonte: Radio Times

Nos acompanhe e curta nosso conteúdo!
error
Fechar Menu